6 perfis do empreendedor brasileiro: descubra qual é o seu

Saiba quais são as características e motivações de quem empreende no país

 

O desejo de abrir o próprio negócio é algo presente na maioria da população brasileira. De acordo com uma pesquisa realizada pela Endeavor, em 2014, 61% dos entrevistados confirmaram essa intenção para o período dos próximos cinco anos. Em um país que o empreendedorismo é visto com bons olhos e há um crescimento expressivo do número de startups, o cenário aumenta as expectativas e desperta a vontade de se arriscar no mercado.

Ainda de acordo com a pesquisa da Endeavor, existem cinco aspectos comuns e indispensáveis nos empreendedores: autoconfiança, desejo de protagonismo, resiliência, coragem para aceitar os riscos e otimismo. E aí, você se identifica com essas características? A partir delas, é possível observar até seis perfis de empreendedores conforme a sua motivação. Confira quais são eles e inspire-se para traçar a jornada em rumo à conquista do seu primeiro unicórnio!

 

1. Nato

Sabe aquele caso norte-americano da criança que vende limonada? Ou mesmo brigadeiro se pensarmos no Brasil? Este é o empreendedor nato! Aquele que enxerga oportunidades de forma natural. Tem como motivação a busca pelos sonhos e costuma ver a vida com interesse e entusiasmo.

Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, foi uma pessoa que apostou suas fichas no e-commerce ainda nos primórdios da internet, estabelecendo-se como um verdadeiro visionário. Ele é um exemplo do empreendedor que tem facilidade para enxergar as oportunidades.

 

2. Meu jeito

Imagine ser o seu próprio chefe! Colocar as suas regras e a sua forma de trabalhar na empresa. Esse é o perfil das pessoas que querem fazer diferente, que estão em um trabalho, mas discordam de processos e gostariam de fazer ainda melhor.

Um ótimo exemplo é o caso da Cristina Junqueira, cofundadora do Nubank. Funcionária do Itaú, pediu demissão e arriscou-se em uma startup que revolucionou o mercado financeiro no Brasil.

 

3. Situacionista

Diferente dos outros perfis que buscam o empreendedorismo, o caso do situacionista é aquele que de alguma maneira foi levado a empreender. A oportunidade surge ou então existem circunstâncias que fazem com que seja necessário tentar algo novo.

É o caso do Seu Madruga, que apesar de nunca sonhar em ser empreendedor, foi levado a negócios como venda de balões, churros, chapéus, sapatos ou roupas usadas, por conta do pagamento do aluguel.

Brincadeiras à parte, uma história inspiradora é do Carlos Wizard, o professor que nunca imaginou que seria bilionário. Em contato com o inglês desde muito cedo, devido à igreja mórmon, tornou-se professor do idioma para complementar a renda. No momento em que é despedido da empresa onde trabalhava, o conhecimento do inglês foi quem o levou à preparação de material didático e posteriormente à criação da rede de escolas.

 

4. Herdeiro

Esse é o perfil de quem foi incentivado a empreender. Descreve as pessoas que cresceram muito próximas a um modelo de negócio e se sentiram inspiradas a seguir pelo mesmo caminho. O incentivo pode ser tanto cultural, no convívio com empreendedores satisfeitos, quanto material, no caso das famílias que deixam o empreendimento para os filhos.

Essa é a história da Luiza Helena Trajano, presidente da rede Magazine Luiza. Sua tia, com habilidade para vendas, começou com uma loja de presentes. Já na adolescência, Luiza Helena trabalhava com os tios e, hoje, está na presidência da rede há mais de 25 anos. A empreendedora costuma dizer que o gosto pelas vendas está no DNA.

 

5. Idealista

Os empreendedores idealistas são aqueles que visam o lucro, porém não a qualquer custo. Empreender, na verdade, é uma forma de garantir que seus valores e ideais possam contribuir para uma transformação social.

É o caso do Bill Gates, fundador da Microsoft, que além do reconhecimento como magnata, também é visto como filantropo. Com a consolidação do seu império, ele cria, em 2000, a “Bill & Melinda Gates Foundation”, organização focada na melhoria das condições de vida do ser humano, principalmente nas áreas da saúde e da luta contra a pobreza.

 

6. Busca do milhão

Ao contrário do idealista, este perfil está totalmente focado no dinheiro. O empreendedorismo é visto como uma forma de alcançar fortuna.

Jorge Paulo Lemann, o “Conquistador da América”, como titulou a Forbes, é um exemplo do perfil que corre atrás dos milhões. Atualmente, é o homem mais rico do Brasil, com um patrimônio avaliado em 104,71 bilhões.

O economista começou sua trajetória de aquisições com a criação do Banco Garantia. Com recursos em mãos, partiu para a compra das Lojas Americanas, o que, mais tarde, permitiu a aquisição da cervejaria Brahma. Após algumas outras movimentações financeiras, Lemann tornou-se sócio da AB InBev e, como você pode imaginar, não parou por aí.

 

Pesquisa Endeavor

E então, já sabe qual perfil combina mais com você? Confira a pesquisa completa com todas as informações aqui.